O CAVALO e o VAQUEIRO

O CAVALO e o VAQUEIRO

É com orgulho e prazer
Que o bode vai berrar
A arte e a cultura
Dos vaqueiros de Uauá
Saúdo todos os vaqueiros
Homens bravos e guerreiros
Vamos homenagear

Ser vaqueiro é uma arte
É mais que profissão
É um estilo de vida
É como uma devoção
Se entrega a labuta
Sua vida é sua luta
É uma religião

No sertão de Uauá
São João é padroeiro
Nosso forte é o bode
Por ser ele catingueiro
Herdamos a tradição
A essência do sertão
A origem do vaqueiro

O rio Irapiranga
Foi o grande pioneiro
O mesmo Vaza Barris
Foi abrigo de vaqueiro
Foi a fazenda Uauá
Passagem pra vaquejar
Paragem de boiadeiro

São muitas as histórias
De boi brabo no sertão
Tem um boi que é mandingueiro
O boi preto o boi fujão
Tem o boi encantado
Um outro que é malcriado
O boi do Horácio é o cão!

Vamos traçar o perfil
Do que é ser bom vaqueiro
Pode ser alto ranzinzo
Mas precisa ser ligeiro
Destemido corajoso
Também tem que ser zeloso
Com o gado e o fazendeiro

Encarar o sol a chuva
A caatinga desbravar
Tem que ser bom laçador
Pra hora que precisar
Tem que se trajar de couro
Dominar a vaca o touro
Sem nunca se amedrontar

Evita usar guiada
Para o gado não furar
Assim não corre sangue
Não precisa maltratar
Mas se tiver precisão
Não injeita ocasião
Com certeza vai lutar

Se for tangendo o gado
E um touro virar
Desafiando o vaqueiro
Lhe chamando pra brigar
Desce o homem do cavalo
Tão rápido como um raio
Para o bicho dominar

O Vaqueiro já saltou
Com a corda pra laçar
O cavalo por sua vez
Começa a se encostar
Depois oferece a sela
A argola e a fivela
Para o vaqueiro amarrar

Pega o boi pelo rabo
E depois joga no chão
Antes do touro virar
Leva a corda já na mão
Dá um nó prende as pernas
Pega o serrate e serra
O chifre do barbatão

Pêa carêta cambão
É o recurso final
Usando de muita força
Controla o animal
Faz o nome do pai
Depois levanta e sai
Num tremendo ritual

Para ser um bom vaqueiro
Precisa ter bom cavalo
Alto forte arisco
Bom na reta e no atalho
Tem que ter auto defesa
Ter no corpo a leveza
Sem nunca perder o embalo

O cavalo pra ser bom
Defende seu cavaleiro
Se abaixa se levanta
Sobe o despenhadeiro
Salta rumo as Alturas
Parece mesmo loucura
Mas louco é o vaqueiro

O cavalo quando é bom
Corre com perfeição
Sobe serra desce rio
Penetra no borrocão
Faz uma volta ligeiro
Exigindo do vaqueiro
Equilíbrio e precisão

Depois relincha e salta
Comemora a ação
Por sua vez o vaqueiro
Roga a Deus a proteção
O vaqueiro generoso
Alisa a tábua do pescosso
Encerando sua missão

É a mais dura profissão
Esta de ser vaqueiro
Sua vida fica exposta
Como a vida de um guerreiro
É amor é devoção
Traz consigo a proteção
Do nosso Deus verdadeiro

Conheci um bom vaqueiro
Bom de campo bom de prosa
Com seu cavalo alazão
Pêa cambão e corda
Na caatinga do sertão
Derribou cem barbatão
O vaqueiro é mestre Joza

BGG da MATA VIRGEM
Poeta Popular
Uauá Bahia Brasil

escrever alguma coisa

Não vamos mostrar seu e-mail.